segunda-feira, maio 27, 2024

Nvidia revela o poderoso ‘superchip’ Blackwell

A Nvidia revelou um “superchip” para treinar modelos de inteligência artificial, o mais poderoso que já produziu. A empresa de computação dos EUA, que recentemente disparou em valor para se tornar a terceira maior do mundo, ainda não revelou o custo de seus novos chips, mas os observadores esperam uma etiqueta de preço alta que os tornará acessíveis apenas a algumas organizações.

Um chip de computador com mais de 400 bilhões de transistores promete treinar modelos de inteligência artificial mais rápido e com menos energia, conforme anunciado pela Nvidia. No entanto, o preço ainda não foi divulgado.

Nvidia promete desempenho impressionante e menor consumo de energia

A Nvidia afirma que seus chips Blackwell podem oferecer uma melhoria de desempenho 30 vezes maior ao executar serviços de IA generativa baseados em modelos de linguagem grandes, como o GPT-4 da OpenAI, em comparação com as GPUs Hopper, tudo isso usando 25 vezes menos energia.

Chips Blackwell usa 25 vezes menos energia
Chips Blackwell usa 25 vezes menos energia

Especificações do Blackwell da Nvidia

O CEO da Nvidia, Jensen Huang, revelou os detalhes do novo Blackwell B200, afirmando que cada unidade possui 208 bilhões de transistores – um salto significativo em comparação com os 80 bilhões de transistores dos chips Hopper da geração atual. Além disso, o GB200 Grace Blackwell Superchip combina dois desses poderosos chips.

Impacto no Treinamento de IA, Acessibilidade e Desafios

Com a crescente demanda por GPUs para treinamento de modelos de IA, a Nvidia afirma que os chips Blackwell podem proporcionar uma melhoria de desempenho 30 vezes maior em comparação com as GPUs Hopper, enquanto consomem 25 vezes menos energia.

Embora a Nvidia não tenha divulgado o preço dos chips Blackwell, observadores esperam que seu alto custo os torne acessíveis apenas para algumas organizações. Essa tendência de desenvolver chips mais poderosos e caros pode limitar o acesso à tecnologia de IA.

Nvidia e as Implicações geopolíticas

Além dos desafios de acessibilidade, a Nvidia enfrenta complicações geopolíticas devido às tensões entre os EUA e a China. Restrições de exportação impostas pelos EUA têm forçado a empresa a criar versões menos potentes de seus chips para clientes chineses.

Rumo a um futuro potente e restritivo

A revelação do ‘superchip’ Blackwell pela Nvidia promete revolucionar o treinamento de modelos de inteligência artificial, oferecendo desempenho impressionante com menor consumo de energia. No entanto, o alto custo dos chips pode limitar sua acessibilidade a apenas algumas organizações. Além disso, as complexidades geopolíticas, especialmente entre os EUA e a China, adicionam camadas adicionais de desafios para a empresa. Apesar do potencial impacto transformador, a adoção generalizada do Blackwell pode ser restrita pela sua exclusividade financeira e geopolítica.

Receba Novidades

Aldo Barros
Aldo Barroshttp://guiadetecnologia.com.br
Sou Técnico em Informática, Técnico em Saúde Pública (Agente de Saúde), Web Programador, Designer Gráfico, Desenhista por paixão e Entusiasta de Tecnologia. Escrevo para blogs desde os 16 anos, atualmente mantenho projetos voltados para Web Tecnology!

Últimas notícias

Relacionados

Aviso de cookies do WordPress by Real Cookie Banner